Ji-Paraná (Ro), 17 de julho de 2019 - 03:31

Img 20190704 wa0639

Saúde

09/07/2019 08:43

PMs salvam menina de 1 ano que se afogou em piscina

O último fim de semana provavelmente não será mais esquecido pela família da pequena Rebeca Venturoso, de 1 ano e cinco meses. A criança acabou caindo na piscina da casa dos avós, em Rolim de Moura (RO), município a 402 quilômetros de Porto Velho, e foi encontrada desacordada pela mãe da menina, a agente de saúde Patrícia Venturoso.
Em meio ao desespero de levar a filha ao hospital, a família encontrou no caminho uma viatura policial e foi o soldado Fernando Félix e o cabo Welinton Neves que prestaram os primeiros socorros decisivos. Hoje, ambos são considerados pela família como "anjos enviados por Deus".
Patrícia conta que o acidente ocorreu entre as 10h e 11h. A casa estava cheia para um almoço familiar e em apenas alguns minutos de descuido a criança caiu na piscina.
"Sempre temos muito cuidado com as crianças. Sou mãe de cinco filhos e a Rebeca é a caçula. Ela estava o tempo todo por perto e quando olhei e não a vi. Já questionei: cadê a Rebeca? Eu estava próxima a uma janela, de costas para a piscina, mas quando me virei já vi minha filha boiando na água. Fiquei desesperada", contou.
Quando tiraram a menina da água, a criança estava roxa e não apresentava batimentos. A avó, mesmo sem saber ao certo como agir, tentou fazer os primeiros socorros por ventilação. Foi quando Rebeca soltou um pouco de água da boca que a família saiu de casa em busca de atendimento médico. Porém, antes, chegaram a ligar à Polícia Militar (PM), já que não sabiam o contato dos bombeiros.
"Estavam no carro minha sogra e sogro, meu esposo, eu e a Rebeca. Quando estávamos saindo para procurar um hospital, vimos uma viatura fazendo ronda pelo bairro. Minha sogra falou para parar o carro e pedir ajuda. Foi o que fizemos. Eles foram maravilhosos. Além de nos ajudar salvar a vida da nossa filha, conseguiram nos passar tranquilidade. Acho que eles foram anjos enviados por Deus naquele momento de desespero", detalhou a mãe de Rebeca.
"Se não fossem eles (policiais), nem sei o que teria ocorrido", disse Patrícia.Um dos policiais que ajudou no salvamento foi o soldado Fernando Félix. Segundo ele, quando o pai deu sinal de parada à viatura, o veículo parou no meio da rua. Os pais estavam desesperados e entregaram a criança nos braços dos policiais, pedindo para que eles salvassem a filha.
"Fizemos o socorro na carroceria do carro dos pais, deitamos a criança na tampa e começamos a fazer os procedimentos, como massagem e liberar as vias. Logo verifiquei o pulso e constatei que não havia batimentos, além dela estar roxa. Mesmo assim continuamos com as massagens e após cinco minutos ela começou a puxar a respiração. O procedimento seguiu até a chegada dos bombeiros, quando a respiração dela já estava melhor e estava se mexendo", contou o PM.

Os bombeiros encaminharam a criança para o Hospital Municipal Amélio João da Silva. Quando chegaram, a mesma chorava de olhos abertos.
"Sou pai, tenho uma criança praticamente da mesma idade da menina que ajudamos a salvar. Em três anos de carreira militar nunca passei por situação semelhante. É muito emocionante poder ajudar a salvar uma vida", disse o soldado Fernando Félix.A criança foi encaminhada estável ao Hospital Regional de Cacoal, onde permaneceu até as 10h de domingo (7) internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em seguida, foi encaminhada à enfermaria, onde permanece internada. Ela não teve nenhuma sequela.


Orientação

Em casos de afogamentos e qualquer outro acidente doméstico, o Bombeiro Militar Cabo Cadmo Vinícius Rodrigues de Oliveira orienta que o principal a ser feito é manter a calma, pedir ajuda profissional e fazer os procedimentos de primeiros socorros.
"Quando acontece algum tipo de acidente e a pessoa está próximo a ajuda, ou seja, próximo ao quartel dos bombeiros ou do hospital, o ideal é levar o acidentado até o local, caso contrário o certo é iniciar os primeiros socorros, com massagem cardíaca, pedir ajuda, manter a calma e pensar no que pode ser feito", orientou.
Entre as dicas, Cadmo orienta todas as pessoas aprendam a nadar e nunca deixar crianças sozinhas próximas de água.
"Crianças podem se afogar com dois a três centímetros de líquido. Tudo é perigoso bacias, baldes e até vasos sanitários. Então é importante que sempre tenha alguma supervisão. As pessoas que estiverem cuidando é bom que saiba nadar, pois em situações de afogamento, poderão agir de forma mais rápida", sugeriu.

 

Matéria:G1

 


 

Copyright © - 2019 AgitoFest – todos os direitos reservados

Fale com a gente

agitofestoficial@gmail.com

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo